MA
1993


primeiro elenco criação/interpretação : Denise Stutz, Duda Maia, Lia Rodrigues

segundo elenco : Denise Stutz, Marcela levi, Mariana Roquette Pinto, Micheline Torres

O universo dramático deste trabalho se desenvolve através dos diferentes momentos vivenciados pelas mães e seus trabalhos infinitos: bebês, baldes, bacias, fraldas... Todo o dia, a mesma coisa!
A origem da palavra mãe é aparentemente uma só.
Em latim mãe é “mater”, em grego ”meter”, em alemão “mutter”, em francês “mère”, em sânscrito “ma” ou “mata”.
E tudo deve ter começado com um dos sons fundamentais da espécie que é o do bebê pedindo para mamar.
Em MA a coreógrafa entrou em sintonia com o universo vigoroso da mulher como criadora e provedora .
Assim, o estudo de rituais e manifestações artísticas de culturas antigas relacionadas com o culto da Grande Mãe ou Deusa, inspiraram os desenhos e movimentos coreográficos como, por exemplo, a utilização de linhas espirais e circulares, gestos que sugerem a forma V ou M, caminhos que lembram as linhas paralelas encontradas nas esculturas e pinturas.
A trilha sonora foi construida através de pesquisa com o músico e compositor Zeca Assumpção, usando diversas sonoridades da letra M , além de canções de mulheres africanas e rezas predominantemente femininas (como é o caso da Ave Maria).
A utilização de baldes, bacias, fraldas e um boneco especialmente criado por Hel`ene Delmonte, reafirmam a idéia do trabalho que envolve a maternidade.
O figurino criado por Cica Modesto foi inspirado nas roupas usadas pelas bóias frias que trabalham na colheita do café e nas plantações de cana-de-acúcar, utilizando elementos que são comuns a mulheres de várias culturas e paises, como véus e panos superpostos.
O cenário de Keller Veiga foi concebido para dar a sensação de útero, tanto pela forma espiralada quanto pela presença de um cordão que delimita o espaço cênico.
A iluminação de Milton Giglio trabalha em harmonia com o cenário e os elementos cênicos, delineando a coreografia.
« Ma » recebeu o *Prêmio Mambembe , do Ministério da Cultura de melhor coreografia em 1994 e foi classificada entre as oito melhores coreografias no Suzanne Dellal International Dance Competition, Tel AViv


Trilha Sonora : Zeca Assumpção e “Galinhas do Mato” de José Afonso
Cenário : Keller Veiga
Figurino : Cica Modesto
Plano de luz : Milton Giglio
Boneco : Helène Delmonte
Cenotécnico : Custódio Vieira


voltar